Precisamos falar sobre luminárias

Nenhum Comentário

24. 06. 2017

Por tatiana-mello

 

 

com:

 

 

 

 

Jatiyo Sangshad Bhaban, Louis Kahn

A luz é vida. A luz nos envolve todos os dias e nos permite ter a percepção de tudo o que está ao nosso redor. Esta percepção não é diferente nos projetos de arquitetura ou de design de interiores. A luz bem aplicada nestes espaços toca nossos sentidos profundamente, mas é interessante considerar como raramente percebemos nossos ambientes construídos por um meio que não seja a visão. A palavra “visão” tem um significado que se estende além da sua raiz latina videre, que significa ver, ela também pode nos significar tudo aquilo que pode ser imaginado ou sonhado.

 

Caves Bell-lloc, RCR Arquitectes

Nos projetos podemos explorar a luz na sua forma natural, como fazia com maestria o arquiteto com alcunha de “manipulador da forma e da luz natural” Louis I. Kahn, e os recentes ganhadores do Prêmio Pritzker 2017 Rafael Aranda, Carme Pigem e Ramon Vilalta (RCR Arquitectes), que, em seus projetos a luz se molda ao espaço instigando nossos sentimentos e aguçando nossa percepção das formas tridimensionais.

 

 

Lâmpada de Filamento Incandescente

Outro fator de grande importância em nossas vidas é a luz elétrica, ou luz artificial. É difícil imaginar nos dias atuais como seria a nossa cidade sem ela, pois além nos apresentar uma nova perspectiva, também transmite segurança, conforto, e até influencia nossa saúde. Neste contexto o mercado de iluminação nos leva a considerar dois importantes itens que são as Fontes Luminosas e as Luminárias.

 

 

Lâmpada de Descarga – Fluorescente Compacta

Em relação as Fontes Luminosas, na indústria encontramos uma grande variedade de produtos especializados, mas, na iluminação arquitetônica, há três tipos principais de tecnologias que provavelmente encontraremos. As Fontes de Luz Incandescentes produzem luz visível por meio do aquecimento de um filamento metálico. Elas incluem as lâmpadas incandescentes tradicionais, as lâmpadas halógenas e as lâmpadas de tungstênio e xenônio. As Fontes de Descarga produzem luz ao criarem uma descarga elétrica através de um gás. Elas incluem as lâmpadas fluorescentes, as lâmpadas de halogeneto metálico e as lâmpadas de vapor de sódio. Já as Fontes de Luz Eletroluminescentes incluem os painéis eletroluminescentes, os LEDs (diodos emissores de luz) e os OLEDs (LEDs orgânicos).

 

 

 

Diodo Emissor de Luz

Quando falamos de Luminária, nos referimos a um aparelho de iluminação, ou melhor dizendo um equipamento completo que inclui a fonte de luz (lâmpada ou bulbo),

Pendente com iluminação dispersa ou difusa

o soquete (ou porta-lâmpadas), o refletor, as lentes, o suporte, a suspensão, os acessórios de instalação (como a fiação e os parafusos) etc. – enfim, tudo o que é necessário para um aparelho de iluminação completo! Os modelos de luminárias podem variar de acordo com sua forma e função, e para cada tipo temos um nome genérico como: Luminária pendente de luz dispersiva (lustres, pendentes com cúpulas de vidro, tecido etc), luminária pendente de iluminação

Pendente com iluminação direta

direta (ex.: pendente meia esfera), holofotes, spots, refletores, luminárias de embutir, recortes no forro, sancas de iluminação, luminárias de piso, luminárias de mesa etc.

 

 

 

Pendentes com iluminação indireta

Para o uso adequado destas luminárias é de extrema importância que se busque a orientação de um profissional especializado em iluminação (arquiteto, engenheiro ou designer) que recebe a titulação de Lighting Designer por adquirir conhecimento (cursos, congressos etc) e prática na área. A escolha de onde você comprará o material especificado em seu projeto também é um ponto crítico, pois no mercado encontramos

Iluminação projetada no ambiente por spots em trilho

muitas lojas que oferecem um “serviço especializado”, mas não possuem profissionais especializados, apenas pessoas que decoram algumas “palavras e frases estranhas” (AR70, AR111, IRC, temperatura de cor, índice de reprodução de cor), e de forma repetitiva, sem conhecimento técnico e criatividade se aventuram a desenvolver um projeto luminotécnico.

 

Por isso, cuidado e procure um profissional adequado!

Leonardo Freire – Diretor de Projetos (Lumens Light)

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *